terça-feira, 8 de maio de 2012

93 - Delhi, Imagens II


Barbearia para pobres. Aqui, um cliente a ser barbeado sentado no chão enquanto o seguinte aguarda ... sentado no chão!

Escritórios de agências de viagens. Neste quarteirão (Pahar Ganj), contam-se pelas centenas.

O meu restaurante preferido.

Uma alfaiataria instalada sobre um passeio, debaixo de uma ponte.

Subestação eléctrica.

Cortejo nupcial. A charanga precede o noivo montado no seu cavalo devidamente ajaezado.

Barbearia para gente mais endinheirada. A mulher aguarda enquanto o marido é barbeado.

Uma representação dos incontáveis indolentes
e bem nutridos cães de Delhi.

Lavando o vasilhame de uma bem afreguesada leitaria da cidade.

Modernas instalações sanitárias para Ladies and Gents que o município está edificando um pouco por toda a cidade. Mesmo tendo-as a escassos metros de distância, os indianos raramente as utilizam. Será que as acham "finas" demais? Preferem urinar contra qualquer parede, sebe ou portão, indiferentes a quem passa.
Esta já é uma barbearia de luxo!

Num mictório popular como este, urina-se contra uma parede, simplesmente! Não há esgoto nem água e a urina decomposta pelas altas temperaturas forma pequenos riachos que correm ao longo dos passeios. O odor atordoa!

À porta de alguns armazéns na proximidade das estações de CF, ainda se vêm corpulentos bois puxando pesados carros como aquele que a foto mostra. 

Confraternizando com um mendigo.

Um restaurante de rua. A cozinha está instalada sobre o passeio.

Cadeia de restaurantes de Chaat ou Street food.

Abatidos pelas drogas, pelo alcóol ou pela má sorte, jazem como farrapos pelos cantos da cidade. Vi alguns, semi-inconscientes e inertes, estendidos sobre os passeios, motivando ...  a indiferença geral!

O cavalo ainda é bastante usado como meio de transporte na cidade. Estes cavaleiros são vendeores de tapetes e virão, provavelmente, de alguma aldeia distante.
Na Índia, ter uma montureira de lixo ao pé da porta não representa qualquer contrariedade. Bem pelo contrário, lixo é equivalente a património. Dele se alimentam homens e animais, e só depois de despojado de quaisquer materiais com valor comercial (recicláveis) é que é levado para o seu destino final. Onde possivelmente sofrerá uma segunda triagem!
Materiais de construção como areias ou tijolos, ainda são transportados em ceirões como este, sobre o dorso de mulas.

Um pequenino varredor limpa a entrada de uma loja chique!

 Os "ratos do céu" como lhes chama o nosso companheiro de viagem, Manuel Ferreira. São aos milhares, e não tenho qualquer dúvida em afirmar que só na cidade de Delhi consomem diariamente toneladas de cereais. Eles, os corvos e as ratazanas.
O Palika Bazar. Tal qual a feira de Carcavelos até na forma de apregoar. Não cofundir com o Palika Shoping que fica situado na mesma zona mas no sub-solo.
juan_jovi@apo.pt

1 comentário:

  1. Esta sim é a Índia que eu vi.
    Cumprimentos
    Luís

    ResponderEliminar