quarta-feira, 23 de março de 2016

138 – Para o Oriente, já!

Se, enquanto lês, quiseres ouvir uma selecção de músicas relacionadas com o tema (oriente - Tailândia), só tens que clicar no botão do player e a música arrancará automaticamente. Mas, para te lembrares que estamos em tempo de Páscoa - hoje é quinta feira santa - ouvirás uma canção alusiva, na voz de Kate Voegel.


 Fotos correspondentes ao 1º e 2º dias de viagem, 4 e 5 de Março 2016.

Havia muito que, da minha “carteira” de viagens, fazia parte um périplo pelos países do sueste asiático, alguns deles integrando o grupo dos novos tigres devido ao crescimento quase “explosivo” das suas economias. Estão na lista os seguintes: De norte para sul, Myanmar (antiga Birmânia), Laos, Tailândia, Camboja, Vietname, Malásia e lá bem no extremo sul deste último país, a cidade-estado de Singapura. Todos apresentam a particularidade de oferecer aos seus visitantes estruturas turísticas de luxo e grande luxo a um preço que o português da classe média se pode dar ao luxo de desembolsar. Muito importante no meu caso! A hospitalidade e “doçura” destes povos é mundialmente reconhecida pelos viajantes, o que, juntamente com o facto de muitas regiões se apresentarem quase “intocadas” evoca no nosso imaginário uma certa reminiscência do que terá sido o Éden ou paraíso terrestre. Muitos possuem fronteiras comuns o que torna fáceis, rápidas e económicas as deslocações entre eles, quer se façam por via terrestre ou aérea.
E há sonhos (sonho meu, sonho meu …) que se tornam realidade! A coisa começou a tomar forma em Novembro último quando a amiga Stella, guia turística, proprietária e gerente da minha agência de viagens preferida, a “Costa de Prata” me propôs integrar um grupo para um passeio até à Tailândia, com uma incursão rápida ate ao Laos e uma mirada à Birmânia. Por diversas vezes referi neste blog a minha desafectação quanto às viagens em grupo. Porém, para os destinos que referi não me apetecia viajar a solo e, não tendo conseguido arregimentar um ou dois amigos para tal empreendimento, olha, … lá vai Maria com as outras!
Passando aos pormenores:
A viagem teve lugar entre os dia 4 e 14 de Março (2016) sendo o grupo constituído por 22 magníficos e magníficas, mais a Stella, que nos acompanhou do primeiro ao último minuto da nossa deslocação e se ocupou de todos os pequenos detalhes de modo a que nenhum dos seus clientes (amigos) fosse sujeito ao menor transtorno ou desconforto. A comitiva integrava na sua maioria casais “maduros” com experiências positivas de viagens realizadas anteriormente através da mesma agência. A nossa caçula, na casa dos trinta, simpática fadista de primeira água (mas não de primeira viagem …) era a Carina que, devido à dificuldade de os orientais pronunciarem os érres, ficou simplesmente Calina. Mas já recuperou! E então foi assim: Na madrugada do dia 4, cerca das 09H00, encontrava-se estacionado no largo fronteiro à Costa de Prata, o autocarro que nos haveria de levar até à zona das partidas do aeroporto mais seguro do mundo, o da Portela (Lisboa). A viagem desdobrada em dois troços; Lisboa – Dubai em Boeing 777 depois Dubai – Bangkok no gigante 380 da Airbus, teve início (descolagem) como previsto, cerca das 13H30. Foi uma viagem tranquila e portanto sem história na qual a companhia dos “Emirates” revelou todo o seu know-how quanto ao negócio do transporte aéreo, desde a assistência a bordo, de primeira categoria, não faltando mesmo uma tripulante de cabine portuguesinha da costa. A comida era boa, houve frequente oferta de bebidas no lugar e, daquilo de que posso dar fé, as necessidades dos passageiros eram diligentemente satisfeitas. Apenas um senão, a viagem é longa pa car…, umas 15 horas sem contar com a duração da escala no Dubai. Não fosse isso e dada a maravilha meteorológica que temos tido, eu juro que já lá estava de novo. A continuação fica para o próximo post, agora só mais umas fotos.

 O autocarro doa transfer e o seu simpático motorista, senhor António

 O João Isidoro "apanhado" com a boca ... no pastel de nata, numa área de serviço da A8. Repousando a cabecinha no seu ombro, a sua prima e nossa guia Stella.

 Vista geral da "rapaziada" (e raparigada) dentro do autocarro.

 No aeroporto, malas e malotes atrás dos donos a caminho do check-in.

 O gigante, Boeing 777, começa a compor-se. Transporta cerca de 400 passageiros, dez por cada fila.

 A Stella, ao lado o primo João ...

  ... que só consegue tirar um cochilo com uma manta pela cabeça!

 Sorridente e bem disposto (ai não, vai de cú tremido ... ), o autor deste blog.

 No aeroporto do Dubai, aguardando o retomar da viagem.

A bordo do gigantão Airbus 830 com 800 passageiros nas entranhas. Não havia espaço nem para mais uma agulha.

 Fazendo o checkin no hotel Furama Silom (Bom)à chegada a Bangkok.

Uma vista das traseiras do nosso hotel. Um edifício moderno no qual uma habilidade arquitectónica o faz parecer que está em ruína. Em planos mais recuados, uma vista geral desta velha e ao mesmo tempo moderna e glamourosa cidade.

A seguir, três pequenos vídeos. O realizador era bem fraquito e os figurantes também não eram por aí além ...!
video
Vídeo 1 - Os passageiros  da  Ranha - Pombal, no momento do embarque.

video
Vídeo 2 - E os segundos, no mesmo local.

video
Vídeo 3 - E o resto da companhia, já nas Caldas da Rainha!

Sem comentários:

Enviar um comentário